Um ano que transformou jardins em ruínas, mas dias melhores virão

Enquanto sussurrava uma oração, me veio á mente aquilo que tanta gente está falando ultimamente: “Esse foi o pior ano da minha vida!”. E essas palavras tiveram um peso em meus ouvidos porque ver alguém abrir a boca para dizer algo assim, é porque de fato há algo quebrado dentro do peito, algo que não é fácil de consertar e nem de trocar por um novo. Algo chamado coração que depois de tantas pancadas, quedas, rasgos, manchas, não bate como antes e se recusa a acreditar que dias melhores virão.

Até entendo porque esse ano eu vi casamentos de décadas sendo desfeitos, aviões caindo e derrubando vidas e sonhos de pessoas tão queridas, preços aumentando e condições financeiras diminuindo, preocupações crescendo e criando raízes numa alma já ferida pela ansiedade, pulsos sendo machucados porque não basta chorar pelos olhos. E foi doloroso ver tanta dor estampadas no rosto da humanidade, ver a fome corroendo em corpos de crianças tão pequenas, ver a guerra transformar jardins em ruínas e barcos virarem no meio do oceano.

Então posso concordar que esse ano não foi nada fácil nascer, sobreviver e tentar retomar algum projeto pelo qual tanto sonhamos. E eu poderia dizer que é assim mesmo, que as coisas ruins sempre aconteceram e que nós seres humanos que estamos ficando mais fracos a cada dia e não conseguindo suportar a dor. Mas não é assim, eu sei que a dor existe desde a queda no Jardim do Éden, porém se nós nos acostumarmos a ela estamos condenados a sofrer ainda mais.

Por mais que o mundo esteja de cabeça para baixo e que a felicidade mudou de endereço outra vez porque não quer ser encontrada, ainda há esperança, motivos para sorrir, mudar de rotina, crescer na vida, amadurecer pelos danos, aceitar nossa beleza interior e buscar consertar o que precisa de reparos. Não podemos nos entregar porque o caos está batendo na nossa porta, mesmo que haja ameaças de divorcio em nossos lares, previsíveis términos de namoro e noivado, demissões á vista, faculdades a serem trancadas e festas de final de ano regadas a solidão ou na companhia de familiares irritantes.

Mas se entregar de bandeja ao sofrimento é aceitar ele como algo natural e irreversível. Eu sei que ás vezes não temos forças sequer para levantar da cama e encarar um dia que já imaginamos o que dará errado, não é fácil, nunca foi, mas dizer que não tem mais jeito é o mesmo que falar que Deus não tem poder nenhum para mudar essas situações, como se Ele não fosse capaz de fazer nada por nós e nem nos amasse tanto que quer nos ver felizes.

Não sei como esse ano foi para você, se você mais chorou que sorriu, se teve seus sonhos arrancados, se pessoas que você amava te deixaram, se aconteceu coisas que você nunca sequer imaginou que seriam capazes de ocorrer. Mas não se entregue, pode até lamentar os acontecimentos, até chorar ao se lembrar do quanto doeu, porém levante seus olhos e respire fundo porque nada está perdido, ainda não é o fim. Mesmo que nesse ano você não tenha conseguido realizar nenhuma das suas metas, nem tenha visto um rastro da felicidade passar perto de você, mas isso não é sinal de que tudo continuará dando errado.

Eu não posso falar o porquê dos seus sofrimentos tenham ocorrido, mas acredito que Deus tem um propósito em cada novo aprendizado que você recebeu esse ano. Eu imagino que você deva ter mudado em pontos que nunca tinha conseguido alguma transformação. Você deve ter amadurecido, deixado ilusões infantis, fortalecido seu coração, além de que sua fé foi testada e já que ainda está de pé eu tenho certeza que você foi aprovada, e que logo estará bem.

Que tal refletir sobre esse ano e imaginar que se algumas dores não tivessem vindo você não teria aprendizado lições valiosas sobre coisas importantes. Além da parte ruim eu tenho certeza que esse ano não foi feito apenas de tempestades, deve ter tido lindos dias de Sol onde você conheceu pessoas especiais que irá levar consigo o resto da vida, ouvido a voz de Deus de diferentes formas, visto um lado seu que nem sabia que existia e percebido que a volta de Jesus está mais próxima. Então, vamos trazer de volta aquela esperança de acreditar novamente nas promessas que Deus te fez porque Ele é fiel para cumprir, e se não foi esse ano será no próximo, ninguém sabe, nem eu e nem você, mas de uma coisa sabemos: Tudo é possível para aquele que crer.

Escrito por: Tatielle Katluryn
Autora do blog www.elajafoiverao.ga
Quer conversar sobre algo dito no texto? Entre em contato pelo blog acima.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Comentários desligados
Tatielle Katluryn

Tatielle Katluryn, 20 anos, com sangue Maranhense e coração pertencente ao céu. Sou cristã e estudante, apaixonada por livros do séc. XIX e Astronomia. E Deus me chamou para falar aquilo que Ele quer dizer as pessoas, para levar a paz a corações tão ansiosos quanto o meu. É tão linda a forma que Ele me cuida enquanto me usa para fazer sua vontade e só tenho a agradecer por tamanho amor que me consertou sem eu merecer.

×