Não me leve a mal, mas o meu silêncio apenas Deus é capaz de compreender

Olha, nem sempre eu estou no melhor dos meus dias. Às vezes, fico de bico e emburrada, sinto vontade de chorar mesmo estando rodeada de pessoas, olho com cara feia e quando perguntam o que tenho, respondo que estou bem, que não é nada. Mas a verdade? Quem dera que não fosse nada.

Depois de tanto tempo, de muitos erros, quedas e machucados, perdi essa vontade de compartilhar o tempo todo o que tenho sentido. Às vezes, vou preferir me recolher e ficar quietinha, chorar escondido, sentir tudo sozinha. Não é que estarei deixando de lado quem se importa, mas o meu coração também precisa de um tempo consigo mesmo. E com Deus.

Ah, Deus! Só Ele para saber como me sinto com detalhes, olhar em meus olhos e entender que não se trata de uma bobagem, abrir os braços e dizer: “Vem, filha, eu sei o que você está sentindo”. Só Ele para reconhecer que por detrás de uma cara emburrada, existe um coração frágil que precisa de cuidados.

Não pense que é por falta de valorização eu preferir me retirar nos dias ruins a estar com os amigos. Não estou rejeitando o cuidado que eles me oferecem, o abraço, o conforto, a risada e o “estou com você”. É que, às vezes, ficar quietinha é muito melhor. Às vezes, é mais sensato ficar em silêncio do que dar explicações. Não me leve a mal, mas o meu silêncio apenas Deus é capaz de compreender.

Comentários

comentários

*Os comentários aqui feitos estarão sujeitos as regras do Facebook.

Encontrou erro em alguma publicação ou gostaria de fazer alguma sugestão para o nosso blog? Entre em contato conosco.