Ela só quer sumir porque até hoje nunca foi percebida

Último mês do ano e ela já estava se imaginando usando sua melhor roupa ao estar sentada no sofá tocando na tela do celular, se via com o rosto sem expressão, mas por dentro havia uma tristeza escondida por se sentir sempre tão só no mundo e esse dia ser o pior de todos dizendo respeito a solidão. Por mais que estivesse rodeada por familiares sorridentes que traziam presentes, e outros que passavam com bandejas e panelas nas mãos, com seus primos correndo em volta e bagunçando o que sua mãe passou horas arrumando, algo em seu coração dizia que aquele não era seu lugar.

Então se encolhia no canto do sofá e tentava não levantar o rosto, mas não estava conversando com ninguém em especial, só estava rolando a tela e curtindo fotos de pessoas que estavam se divertindo ao lado de amigos, enquanto ela não tinha ninguém, pois os poucos amigos que possuía tinham seus próprios melhores amigos e estavam com eles nesse momento tão especial que para ela era comum.

Comum porque não passava um dia em que não sentia que havia de algo de errado consigo mesma, não sabia se a culpa era do seu corpo fora dos padrões, dos seus risos que quase não se faziam ouvir, ausência de assuntos interessantes para falar, desanimo para sair de casa e ir visitar quem não via há tempos. Mas sentia e não podia negar que havia algo ruim que fazia os outros se afastarem e fazê-la ser tão só.

E essas festividades de final de ano a faziam se lembrar de quem a abandonou, sentia saudade de quem não voltaria mais, a fazendo se sentir ainda mais insignificante e sem importância, por isso não havia sentido dela estar ali se estava tão infeliz, então decidiu que quando chegasse o dia era iria se levantar e sair para qualquer outro lugar, iria se misturar na multidão ou se esconder numa parte que não havia ninguém, só não aguentaria ficar ali.

Mas é como dizem, correr dos problemas não os faz sumir, então para que fugir se eles estavam guardados em seu coração? Aonde quer que fosse lá estariam seus problemas a perturbando e tirando o sono porque, afinal de contas, ela era o problema. Ela sabe disso, pois tem uma espécie de depressão moderada que se não tratada irá ser violenta, mas ela prefere ir adiando o momento que irá abrir a boca e pedir socorro. Vai indo, se arrastando, limpando as lágrimas antes que alguém veja, protegendo as partes intactas de novas quedas e botando mais tijolos nas muralhas que a rodeia.

E quem irá notar se ela for? Ninguém. Pode simplesmente se recolher em seu quarto, tirar um livro da estante e se jogar na cama que tudo ficará bem, ou pelo menos essa dor será anestesiada. Porque ultimamente ela procura meios para se entorpecer, para ficar umas horas sem sentir nada além das batidas lentas do seu coração e o som suave da sua respiração subindo e descendo em seu peito. Mas ás vezes nem mesmo os livros resolvem porque eles dão uma amostra de quem ela é e não há nada pior do que se ver nos personagens.

Então fica a pergunta sobre o que ela irá fazer já que fugir não adianta seja para lugares distantes ou o próprio quarto. O que se recomendaria a essa moça que só quer se esconder onde não poderá ser encontrada pela infelicidade e sentimento de inferioridade? Acredito que a resposta não seja tão clara quando gostaríamos de dar, mas por se só já é mais do que o bastante para ela se libertar de todo esse peso que carrega por não aceitar quem é.

Ela precisa antes de tudo saber que há um Deus que a ama do jeito que ela é, mesmo que a maioria das pessoas não consegue ama-la Ele pode porque é o próprio Amor. Deus quer que ela seja livre desses sentimentos que só a fazem sofrer, Ele quer que essa menina se permita o amor próprio, que pare de perseguir a perfeição, que derrube os muros e deixe as pessoas entrarem, que deixe de lado seus medos e inúmeras desconfiadas porque se continuar assim não conseguirá se relacionar não ninguém.

Eu sei dos medos dela, pois essa garota já confiou e teve sua vida virada de cabeça para baixo, e depois viu pessoas se afastarem sem saber o motivo, então ficou procurando as razões e botando a culpa em si mesma. Mas ela é bonita do jeito que é por mais que não se aceite, tem um coração disposto a amar mesmo que esteja quebrado. Só precisa parar de olhar para baixo e tem que se envolver mais com as pessoas a sua volta porque nem todos tem a intenção de machuca-la, alguns só querem estender a mão e ajuda-la a enfrentar os próprios demônios. Então, que ela se permita, liberte, prossiga, porque Deus a botou nesse mundo para ver a luz e não viver em trevas.

 

Escrito por: Tatielle Katluryn
Autora do blog www.elajafoiverao.ga
Quer conversar sobre algo dito no texto? Entre em contato pelo blog acima.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Comentários desligados
Tatielle Katluryn

Tatielle Katluryn, 20 anos, com sangue Maranhense e coração pertencente ao céu. Sou cristã e estudante, apaixonada por livros do séc. XIX e Astronomia. E Deus me chamou para falar aquilo que Ele quer dizer as pessoas, para levar a paz a corações tão ansiosos quanto o meu. É tão linda a forma que Ele me cuida enquanto me usa para fazer sua vontade e só tenho a agradecer por tamanho amor que me consertou sem eu merecer.

×